Pesquisa confirma trabalho insalubre dos avaliadores da Caixa

Os resultados de uma pesquisa sobre a situação de trabalho dos avaliadores da Caixa foram apresentados na reunião da Comissão dos Empregados da Caixa (CEE-Caixa) com a ANACEF (Associação Nacional dos Avaliadores de Penhor da Caixa), que aconteceu nesta quarta-feira (04), na sede da Feeb RJ/ES, no Rio de Janeiro. A pesquisa foi realizada pelo Dr. Paulo Roberto Kaufmann, médico do Trabalho, mestre em sociologia do trabalho e assessor de saúde do Trabalho do Sindicato dos Bancários de São Paulo.

Dos 127 avaliadores da Caixa que responderam o questionário, de um total de 900 em todo o país, 85% indicaram que tem transtornos decorrentes da exposição a produtos químicos, sendo que 45% já possui diagnóstico clínico. As queixas maiores são de problemas de pele, narinas, olhos e no aparelho respiratório.

avaliador Caixa 7f3ab
Avaliador da Caixa

Avaliador da Caixa

A maioria indicou também que os EPIs (equipamentos de proteção individual) são inadequados e 73 % sequer participaram da confecção do mapa de risco da agência. A pesquisa foi realizada já que, desde junho de 2016, a Caixa vem ameaçando retirar o pagamento do adicional de insalubridade aos avaliadores.

“A pesquisa comprova claramente que os avaliadores estão expostos a condições de trabalho que justificam o pagamento da insalubridade”, afirma Emanoel Souza, presidente da Federação dos Bancários da Bahia e Sergipe, presente na reunião.

ASCOM/Federação